dia_dos_namorados

 

O post de hoje ainda não é sobre o resultado da viagem para Sampa, que virá em breve, talvez na segunda.

Quero falar agora sobre esta data que tanto nos enche de alegria e esvazia os nossos bolsos. O Dia dos Namorados!

Dizem que o Dia dos Namorados foi introduzido no Brasil por numa promoção de uma loja chamada Clipper, em 1948. Outros dizem que o “Pai” desse evento foi  o publicitário João Dória, em 1950. Talvez esse dia tenha sido introduzido ao Brasil por João Dória para um anúncio da loja Clipper.

Em suma: Dia dos Namorados foi criado para vender presentes e complicar um pouco mais a vida do homem, em escalas diferentes no decorrer da vida. Observe:

1 – Um menino não entende o porquê de sua amiguinha estar com raiva dele porque ele vai jogar bolinha com os amigos. Elas crescem mais rápido e esperam pelo menos um garrancho dele, mas ele só saberá vinte anos mais tarde que ela era apaixonada pro ele…

2 – Um adolescente com vergonha de suas espinhas terá gasto seus últimos trocados com uma revistinha pornô ou um mangá (ou ambos!) enquanto poderia ter dado uma lembrancinha à sua amiga de colégio, que descobrirá 15 anos mais tarde que ela era apaixonada por ele…

3 – Um jovem rapaz ficará com inveja de seus amigos, que marca uma série de coisas legais exatamente para hoje, mas ele terá que passar o dia com a sua ficante, que logo deixará e descobrirá 10 anos mais tarde que ela era (REALMENTE) apaixonada por ele…

4 – Colegas de trabalho trocarão olhares e ele dará uma lembrancinha para ela, mesmo sabendo que ela tem um namorado, e ela só perceberá cinco anos mais tarde que era apaixonada por ele…

5 – Duas pessoas se encontram depois de muito tempo e se declaram que há vinte anos eram apaixonados um pelo outro, mas as experiências da vida os fazem ter uma certa aversão a relacionamentos e comemoram o Dia dos Namorados numa transa casual. Cada um vai para um canto, para viver suas vidas, sabendo que são apaixonados, mas sabe lá Deus porque não vão viver isso…

 

Não entenda isso como uma forma de desacreditar no amor, quero mostrar apenas que nós, homens, perdemos chance porque não falamos na hora, na lata, o que sentimos (ou que não sabemos do que estão falando com a gente).

O que quero dizer aqui, agora, hoje, é o seguinte:

Diga, declare, assuma, aproveite que o dia é propício para uma cena de novela:

Grite na chuva o nome da amada no meio da rua –mas cuidado com os carros!

Visite-a de surpresa em seu apartamento – tá, eu sei que o porteiro estragará tudo te anunciando…

Não tenha vergonha de comprar um buquê no sinal perto de casa – mas cuidado com os aproveitadores, eles cobram caro por meia dúzia de rosas!

Não tenha medo de ser brega e mande uma telemensagem – se bem que a maioria faliu…

Se não tem namorada, elogie sua mãe, sua irmã, suas amigas – mas cuidado para não te acharem mulherengo…

E quando encontrar a garota de 5, 10, 15, 20 ou de 50 anos atrás. Não tenha medo de disparar a frase que ouvimos sempre num encontro como esse:

– Sabe que eu já fui apaixonado por você? Fui e sou até hoje!

 

Feliz Dia dos Namorados a todos!

 

Especialmente para Ana Cristina Rodrigues, minha esposa e sempre namorada!

Anúncios