Olá. Falei um tempo atrás no meu Facebook que voltaria a escrever textos para este blog, abandonado por causa da demanda das tiras Os Passarinhos. Nesses dois anos de sumiço do blog, muita coisa aconteceu, então o “Eu Rio Muito” será interessante do ponto de vista que, posso fazer comparações entre começo da minha estadia aqui e agora. São três anos e meio de Rio de Janeiro e o eu ainda não falo com “xis” igual. Ainda não perdi as minhas características “capixabísticas” e você, amigo leitor que se perdeu de mim nesse tempo todo saberá o que este rapaz fez para sobreviver aqui.

Mas por que reestrear o blog hoje? Bem, porque eu tinha um texto guardado que gostaria de postá-lo. Mas antes quero avisar: Este texto foi escrito antes de eu vir para o Rio e mostra minha admiração pelo lugar. Amo o Espírito Santo e isso não vai mudar, portanto, não “virei casaca”.

É que, como vou reclamar do Rio o ano todo, é de bom tom pegar leve em seu aniversário!
Parabéns Rio!

 

Meus filhos

Estevão Ribeiro

 

O que quero para meus filhos?

Quero que eles sejam a cara da mãe

Se nascerem com a cara do pai

Que ao menos tenham saúde

Que aprendam rapidamente que seu pai tem sono pesado

E, se precisarem de algo, qualquer coisa

Terão que gritar muito alto

Quero que desbravem o universo além berço

E ganhe a casa engatinhando, andando

Tudo ao seu tempo

Quero que eles corram pelo quintal

Brinquem numa rua sem saída

Me apresente um joelho ralado ao menos uma vez por semana

Quero que meus filhos tenham alegria de viver

E que respeitem os limites

Que aprendam desde cedo a respeitar as diferenças

A serem cidadãos

Não jogarem lixo no chão

Que não briguem, apenas defendam seu ponto de vista

Que eles saibam ceder

Que a minha menina, seja doce

Tenha carinho e saiba de todas as coisas na hora certa

Que traga o sorriso e o jeito maroto da mãe

A cada passo

Que as pessoas imaginem o trabalho que ela dará ao crescer

Tal qual a mãe

Que sejam expressivos, não guardem mágoas

Que tenham um cão ou dois, gatos

Conheçam pássaros, nunca tente prendê-los

Que eles aprendam que se pode ser feliz sem exageros

Que a educação é importante

E a curtição não seja sinônimo de irresponsabilidade

Que eles me ouçam, mesmo quando parecer que não tenho tanta razão

Ou nenhuma

Aprendam a ser tolerante

Quando o universo deles não for só preto e branco

Que dê um voto de confiança

Mas que também saiba que os homens são falhos

E podem ser maus

Quero que eles não percam a esperança no país, nem nos pais

Que tenham bossa no sangue

E uma alegria de viver e de contemplar o Sol de forma única

Quero que eles tenham ginga e não se acanhem numa roda de samba

E quero uma certa malícia no olhar de cada um

Quero que deixem suas marcas por onde passarem

As melhores possíveis

Aquelas que dobram até a inveja

Eu os quero lindos, respirando fundo a cada passo, confiantes

Eu quero que meus filhos sejam em qualquer lugar que escolherem para viver,

Que sejam  CARIOCAS de coração.

 

About these ads